sexta-feira, 5 de abril de 2013

Sonda espacial Pioneer 11 foi lançada há quarenta anos

Saturno e a sua maior lua Titã, imagem obtida pela sonda Pioneer 11 a 2.846.000 km do planeta dos anéis - Crédito: NASA Ames

Há quarenta anos, em 5 de Abril de 1973, a NASA lançou a nave espacial Pioneer 11 numa missão interplanetária em direcção a Júpiter. Mas o ponto alto da sua viagem foi o encontro com o bonito planeta dos anéis, Saturno.
Pioneer 11 era muito semelhante à nave Pioneer 10, lançada em 1972, com a missão de estudar o planeta Júpiter. Pioneer 10 foi o primeiro objecto construído pelo homem a deixar o Sistema Solar interior. A sua viagem e encontro com o gigante gasoso foi um grande sucesso. Animados, os cientistas decidiram não repetir apenas a missão da Pioneer 10, e redireccionaram a Pioneer 11 em pleno voo para incluir outro encontro planetário com Saturno, depois de visitar Júpiter (1974).
A nave Pioneer 11 tirou as primeiras fotografias a curta distância de Saturno e descobriu duas novas luas (Epimetheus ou Janus e Mimas) - quase bateu numa delas, em Setembro de 1979 - e um novo anel "F". A sonda também descobriu e cartografou a magnetosfera, o campo magnético e mapeou a estrutura geral do interior de Saturno. Instrumentos da sonda mediram o calor irradiado do interior do planeta e descobriram que a sua maior lua, Titan, era demasiado fria para suportar vida.
A missão da Pioneer 11 só foi programada para durar 21 meses - tempo suficiente para chegar a Júpiter - mas, na realidade, a nave continuou a funcionar durante décadas após o fim da sua missão principal.
O primeiro encontro com Saturno, em 1979, foi o marco mais importante da viagem da nave espacial, que ocorreu oito meses depois de terminar o tempo oficial de vida útil.

Por ideia do astrónomo Carl Sagan, foi colocada na sonda uma placa dourada, para que qualquer civilização alienígena que possa encontrar saiba quem construiu a nave e como contactar. A placa dá a nossa localização na Via Láctea e retrata um homem e uma mulher nus em relação à nave - Crédito: NASA

Depois do seu encontro com Saturno, a sonda prosseguiu a sua rota para o exterior do Sistema Solar, estudando as partículas energéticas do vento solar.
A Pioneer 11 tornou-se o quarto objecto feito pela homem a deixar o Sistema Solar interior, em 23 de Fevereiro de 1990, quase 17 anos após o seu lançamento. A sonda acabou por ser ultrapassada pelas naves Voyagers 1 e 2, que também já estavam em missão interplanetária nessa altura.
A missão da Pioneer 11 terminou em 30 de Setembro de 1995, quando foi recebida a última transmissão da nave espacial. Nesta altura, um sinal de rádio (viajando à velocidade da luz) demorava 12 horas para atingir a nave. Actualmente, está aproximadamente a 13.000 milhões de quilómetros do Sol e viajando na direcção da constelação Scutum (Escudo, no hemisfério Sul). O último sinal recebido pela Pioneer 10 foi em 23 de Janeiro de 2003.
Fonte: NASA

1 comentário:

edsonjnovaes disse...

http://edsonjnovaes.wordpress.com/2014/11/29/placa-pioneer/